sexta-feira

QCO - Curso Alpha - Respostas exercícios módulo I

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

1. (UNIP) " ... Diziam os mareantes, que depois deste cabo não há nem gente nem povoação alguma; a terra não é menos arenosa que os desertos da Líbia, onde não há água, nem árvores, nem erva verde; e o mar é tão baixo, que a uma légua da terra não há fundo mais que uma braça".

O texto faz referência à época:
a) das Grandes Navegações no início da Idade Média.
b) da Revolução Industrial na Idade Contemporânea.
c) do expansionismo marítimo lusitano.
d) das navegações fenícias.
e) do neocolonialismo.

2. (UCSA-l) - " .. com efeito, para superar os problemas gerados pela crise do século XIV (falta de terras para o cultivo, regressão demográfica e esgotamento dos estoques de ouro e prata), a saída encontrada pelos europeus foi realizar as viagens por 'mares nunca d'antes navegados' ..
No contexto da evolução histórica européia, o processo que o texto descreve associa-se

(A) ao desaparecimento da manufatura e à unificação da Itália.
(B) à decadência do mercantilismo e à colonização da Ásia.
(C) ao enfraquecimento do Estado e à conquista da África.
(D) à ascensão da burguesia e à ruralização de Portugal.
(E) ao expansionismo marítimo e à descoberta do Brasil.

3. No processo europeu de expansão mercantil, nos séculos XV e XVI, Portugal teve importante papel, chegando a exercer durante algum tempo a supremacia comercial na Europa. Todavia "em meio da aparente prosperidade, a nação empobrecia. Podiam os empreen­dimentos da coroa ser de vantagem para alguns particulares (...)" (Azevedo, J.L. de, Épocas de Portugal Econômico, Livraria Clássica Editora, p. 180).
Ao analisarmos o processo de expansão mercantil de Portugal, concluímos que: .
a) a falta de unidade política e territorial em Portugal determinava a fragilidade econômica interna.
b) a expansão de império acarretava crescentes despesas para o Estado, queda da produtividade agrícola, diminuição da mão-de-­obra, falta de investimentos industriais, afetando a economia na­cional.
c) a luta para expulsar os muçulmanos do reino português, que durou até o final do século XV, empobreceu a economia nacional, que ficou carente de capitais.
d) a liberdade comercial praticada pelo Estado Português no século XV levou ao escoamento dos lucros para a Espanha, impedindo seu reinvestimento em Portugal.
e) o empreendimento marítimo português revelou-se tímido, per­manecendo Veneza como o principal centro redistribuidor dos produtos asiáticos, durante todo o século XVI.

4. Na segunda metade do século XVI, Portugal assistiu a um declínio de seu empreendimento mercantil no Oriente. A expressão “fumos da Índia" tornou-se corrente e um letrado de nome Diogo­ de Teive afirmava que Portugal passou a trazer para o reino a canela e a pimenta "com mais risco de vida do que proveito”. Foram fatores que contribuíram para esse declínio, À EXCEÇÃO DE:
(A) a concorrência de outros Estados europeus no comércio com o Oriente.
(B) o crescimento da extração de produtos similares às especiarias no continente americano, que passaram a concorrer com estas
(C) a reanimação da rota terrestre que ligava a Europa ao Oriente.
­(D) o crescimento dos custos relativos ao transporte de especiarias, devido à ação cada vez mais freqüente dos piratas e aos constantes naufrágios.
(E) a ampliação de gastos administrativos e militares portugueses ­no Oriente.

5. A esquadra enviada por D. Manuel, rei de Portugal, às índias, sob o comando de Pedro Álvares Cabral, tinha como objetivo:
(A) estabelecer uma sólida relação comercial e política com os po­vos do Oriente.
(B) procurar outro caminho que conduzisse ao Oriente sem utilizar o Mediterrâneo.
(C) combater a pirataria nas Colônias portuguesas na costa oeste da África.
(D) confirmar a existência de minas de metais preciosos no sul da Ásia.
(E) verificar as possibilidades de exploração de mão-de-obra escra­va.

6. (UFES) - As Grandes Navegações e os descobrimentos marítimos, no alvorecer da Era Moderna, marcaram, em Portugal e nas áreas recém-descobertas, grandes transformações, pois a(o):
A) empresa marítima portuguesa assumiu no Ocidente o caráter colonizador ao lado do mercantil, primeiro nas ilhas do Atlântico e, a seguir, no Brasil.
B) grande comércio europeu implicou o estabelecimento de impé­rios ultramarinos com ampla autonomia, correspondendo à formação de uma economia totalmente nacional nas colônias.
C) interesse em subjugar as novas áreas coloniais deu origem a uma política federal de Estado, no Reino e nas colônias, com a divisão de poderes entre o Rei e as Assembléias de Estado.
D) mudança do eixo econômico do Mediterrâneo para o Atlântico determinou a descentralização do Estado Moderno em Portugal, enfraquecendo o Absolutismo.
E) necessidade de dominar as rotas estratégicas de navegação in­viabilizou a manutenção do sistema de monopólios nas colônias, liberalizando o comércio.

7. (ETF) Em 1992, foram comemorados os 500 anos da descoberta da América. Podemos afirmar ter sido a expansão espanhola, onde está inserida esse fato:
a) pacífica e modernizante nas terras desconhecidas.
b) uma aventura de Cristóvão Colombo sem ligação com outros grupos.
c) uma viagem do navegador genovês apoiada por comerciantes italianos.
d) uma expedição apenas científica.
e) uma expedição apoiada por grupos mercantis ligados aos reis espanhóis.

8. "A Espanha iniciou seu ciclo de navegações no final do século XV quando Portugal já havia atingido o Cabo da Boa Esperança". Justifique a afirmação.
A Espanha ainda não estava unificada politicamente e lutava contra a ocupação muçulmana nas Guerras de Reconquista. Com o casamento dos reis católicos, Fernando, de Aragão, e Isabel, de Castela (1469), os espanhóis alcançaram a unidade política e expulsaram os mouros da península, em 1492. A partir daí, foi possível a realização do ciclo ocidental de nave­gação, com Cristóvão Colombo

9. (PUC) - " .. a espada, a cruz e a fome dizimaram a família selva­gem ... "

(Pablo Neruda) Tendo em vista a fala do poeta sobre a conquista espanhola da América, elabore duas considerações sobre o conteúdo dessa afir­mação.
A conquista espanhola fundou-se na violência, destruindo as grandes civilizações pré-colombianas, e onde a Igreja Católica aparece como o sustentáculo ideológico da dominação branca. Expropriada de suas terras, a família selvagem conheceu a
fome, e todas as mazelas dela resultante. Portanto, a espada, a cruz e a fome formam a trilogia que eliminou milhões de indí­genas americanos durante a empresa colonizadora européia.

10. Podemos afirmar que a conquista dos povos indígenas do Conti­nente Americano deveu-se, sobretudo:
a) à esmagadora inferioridade cultural das populações vencidas que, ao contrário da Espanha, não tinham nem rei, nem lei, nem fé.
b) à incrível coragem dos aventureiros espanhóis, que enfrentaram bravamente uma população nativa muitas vezes maior que a sua e com um equipamento bélico muito superior ao seu.
c) à superioridade técnica dos espanhóis, que conheciam armas de fogo, aproveitaram-se das lutas políticas entre as próprias na­ções indígenas para formar alianças e, ainda, trouxeram doenças que dizimaram a população indígena.
d) ao desejo das elites indígenas de se submeterem ao jugo de uma nação mais culta e desenvolvida, como a espanhola.
e) a uma extraordinária proteção divina dada aos espanhóis, que tomaram a nova terra em nome de Deus e da cristianização dos pagãos, para os reis católicos Fernando e Isabel.

11. (UnB) Julgue os itens que se seguem, relativos ao expansionis­mo marítimo do início da Era Moderna.

(O) O pioneirismo espanhol deveu-se ao decidido apoio do Estado, precocemente centralizado, às pretensões burguesas de con­quista de novos mercados.
(1) Descobrir uma nova rota marítima para o Oriente era uma forma de enfrentar o monopólio italiano no Mediterrâneo.
(2) A incorporação da América à economia européia correspondeu à montagem de um sistema colonial, em bases mercantilistas.
(4) Apesar do domínio colonial, a Europa não conseguiu impor seus valores culturais e religiosos aos povos americanos.

12. Associe corretamente
A) Caboto B) Valois
C) Francis Drake D) Walter Raleig
E) Jacques Cartier

I. Dinastia que iniciou as navegações francesas
11. A serviço da Inglaterra, atingiu a região do Labrador
111. Fundador da Nova França
IV. Realizou a segunda viagem de circunavegação
V. Criador da colônia da Virgínia.

a) A-I; B-III; C-IV; D-V; E-II
b) A-IV; B-II; C-III; D-V; E-I
c) A-II B-I; C-IV; D-V; E-III
d) A-V; B-IV; C-II; D-III; E-I
e) A-IV; B-V; C-II; D-I; E-III

13. (MACKENZIE) - A Holanda não entrou no processo de expansão marítima na mesma época que Portugal, pois:
a) encontrava-se envolvida na Guerra das Duas Rosas.
b) seus interesses visavam unicamente ao empreendimento açu­careiro brasileiro e não à obtenção de colônias.
c) teve que lutar para se libertar do domínio da Espanha e só depois se expandiu, ocupando regiões como a da atual Nova York.
d) ainda não terminara a reconquista territorial nem a expulsão de mouros e judeus.
e) não tinha comércio desenvolvido nem burguesia atuante.

14. Como se explica o retardamento das nações não-ibéricas no pro­cesso expansionista dos Tempos Modernos?

A partir de uma série de problemas internos e externos, des­tacando-se a Guerra dos Cem Anos (envolvendo França e Inglaterra), a Guerra das Duas Rosas (guerra civil inglesa entre 1455-85) e a luta pela independência dos Países Baixos (os holandeses contra os espanhóis).


15. (UNIFENAS) - Destaca-se como resultado das descobertas e da expansão luso-espanhola nos tempos modernos a:
a) diminuição do comércio entre Europa e Novo Mundo, com a he­gemonia do mar Mediterrâneo.
b) formação de novos impérios na África e na Ásia, com a ampliação do comércio entre os dois continentes.
c) defesa das culturas nativas das Américas pelo Clero e pelo Es­tado.
d) abertura de uma nova era de navegação e comércio, não mais concentrada no Mediterrâneo e sim no Oceano Atlântico.
e) preservação da autonomia política das nações conquistadas, a exemplo do México e do Peru.

16. (FCMMG) - O expansionismo marítimo-comercial produziu inú­meras transformações, contribuindo para acelerar a transição feu­dalismo/capitalismo. Podem ser apontadas como algumas destas transformações, EXCETO:
A) o extermínio de grupos e nações indígenas na América, reflexo da montagem do antigo sistema colonial.
B) a europeização das áreas conquistadas, pela imposição de valo­res culturais e religiosos.
C) o desenvolvimento do tráfico de escravos da África para a América, devido à forma de organização da produção do Novo Mundo.
D) o fortalecimento dos Estados Nacionais europeus, que passa­ram a intervir de forma crescente na economia.
E) o declínio econômico das potências mercantis atlânticas, para­lelamente à ascensão das repúblicas italianas.

17. Explica-se o pioneirismo de Portugal na Expansão Marítima do sé­culo XV:
a) apenas por sua excelente posição geográfica, aliada à existência de portos comerciais bem aparelhados.
b) porque o país possuía grandes reservas de madeira apropriada para a construção naval.
c) devido a um conjunto de fatores político-econômicos, como a existência de uma monarquia centralizada aliada à burguesia e a situação de paz interna, associadas a uma posição geográfica privilegiada.
d) devido ao fato de os portugueses terem contado com o apoio de diversos grupos mercantis, como os comerciantes ingleses, ve­nezianos e genoveses.
e) pela ascensão da Dinastia de Borgonha ao trono português após a Revolução de Avis, terminada em 1385.

18. "O apoio financeiro da classe mercantil foi decisivo para o sucesso do movimento revolucionário, que faz surgir um novo Estado Na­cional, mais forte e mais centralizado, e eminentemente mercan­tilista" .
O movimento revolucionário mencionado no texto e referente à História de Portugal está ligado:
a) à Reconquista cristã do território português aos árabes;
b) à atuação de Afonso Henriques de Borgonha, fundador do Reino de Portugal;
c) à ascensão do Mestre de Avis ao trono português;
d) à dominação dos Felipes sobre Portugal;
e) à Restauração Portuguesa, que marca o fim da dominação espa­nhola

19. Sobre as Navegações e os Descobrimentos, assinale a alternativa falsa.
a) Com os Descobrimentos, o eixo econômico transferiu-se do Me­diterrâneo para o Atlântico.
b) O Canadá foi explorado principalmente pelos franceses.
c) O que melhor explica o pioneirismo luso nas navegações é a posição geográfica de Portugal.
d) A Espanha retardou a sua participação na Expansão Marítima porque estava ainda em luta com os mouros e em processo de unificação política.
e) A primeira viagem de circunavegação foi realizada pelo portu­guês Fernão de Magalhães.

20. Entre as principais conseqüências da Expansão Marítima, encon­tramos, exceto:
A) o descobrimento de metais preciosos no Novo Mundo e a aceleração da acumulação capitalista.
B) a descoberta de novos mercados, fornecedores de matérias ­primas e consumidores de produtos industrializados.
C) a mudança do eixo econômico europeu, do mar Mediterrâneo para os oceanos Atlântico e índico.
D) a formação dos impérios coloniais, vinculados ao Sistema Co­lonial Tradicional e ao processo de europeização do mundo.
E) o renascimento da escravidão em bases capitalistas e o desen­volvimento do mercantilismo.


21. (FUVEST) - "Porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados como os de Entre Doiro e Minho, porque neste tempo de agora os achamos como os de lá. Águas são muitas, infindas. E em tal maneira é graciosa que querendo-a aproveitar dar-se-á nela tudo ...”
(Carta de Pero Vaz de Caminha, ed. crítica de Jaime Cortesão, A Carta de Pero Vaz de Caminha, Lisboa, Portugália, s.d., p. 256). Pelo documento acima citado, é possível deduzir que:
a) os portugueses somente procuravam terras com clima seme­lhante ao de Portugal para transferir a população do Douro e Mi­nho;
b) o objetivo de Caminha era atrair portugueses para as terras do Brasil, pois havia problemas de clima e de falta de água em Portugal;
c) Caminha, escrivão da esquadra de Cabra!, descreve para o rei de Portugal a região descoberta como um paraíso com o clima e a natureza favoráveis à ocupação;
d) os portugueses somente procuravam áreas para o plantio de café e para isso enviaram Caminha como explorador;
e) os portugueses procuravam terras graciosas na América e dessa forma enviaram Caminha no comando da expedição.

22. (FGV) - Com relação aos indígenas brasileiros, pode-se afirmar que:
a) os primitivos habitantes do Brasil viviam na etapa paleolítica do desenvolvimento humano;
b) os índios brasileiros não aceitaram trabalhar para os coloniza­dores portugueses na agricultura não por preguiça, e sim porque não conheciam a agricultura;
c) os índios brasileiros falavam todos a mesma "língua geral" tupi­-guarani;
d) os tupis do litoral não precisavam conhecer a agricultura porque tinham pesca abundante e muitos frutos do mar de conchas, que formavam os "sambaquis";
e) os índios brasileiros, como um todo, não tinham homogeneida­de nas suas variadas culturas e nações.

23. Sobre as navegações européias, assinale Verdadeiro ou Falso.
(O) Foi provocada pela crescente rivalidade européia.
(1) Resultou da necessidade de áreas para acomodar o excedente populacional europeu.
(2) Correspondeu ao desejo dos países atlânticos em ter relações comerciais diretas com o Oriente.
(4) Refletia a competição para a aquisição de novas terras
(8) Foram lideradas por Portugal, seguido da Espanha no final do século XV.


24. (FUVESTÃO) A colonização dos trópicos americanos, desdo­bramento da expansão ultramarina européia do início dos Tempos Modernos, foi orientada pela política econômica mercantilista e se estruturou com base:
a) no livre-cambismo e no trabalho assalariado.
b) no regime de monopólio e no trabalho compulsório.
c) no Pacto Colonial e na mão-de-obra livre.
d) no estanco e no trabalho livre.
e) no exclusivo metropolitano e na mão-de-obra dos colonizadores europeus.

25 (UNIFENAS) Qual das alternativas contém características das relações metrópole-colônias na Idade Moderna (Século XV - XVIII):
a) monopólio, livre-câmbio, economia natural;
b) ascensão da burguesia, capitalismo industrial, domínio das gran­des empresas;
c) monopólio, absolutismo, comércio internacional de manufatura­dos locais;
d) acumulação primitiva do capital, mercado colonial; democracia li­beral;
e) monopólio, acumulação primitiva do capital, ascensão da burguesia metropolitana.

26 Com relação ao Antigo Sistema Colonial, assinale Verdadeiro ou Falso.
(O) Fornecer matérias-primas era uma das funções das colônias.
(1) De acordo com o Pacto Colonial, as colônias existiam para servir às metrópoles.
(2) As colônias adquiriam as manufaturas vindas das nações amigas da metrópole.
(4) O "exclusivo comercial" era uma prática excepcional da política mercantilista.
(8) Latifúndio, monocultura e escravidão foram as bases da produção colonial.

27. Por que a crescente utilização de negros africanos como mão-de-­obra escrava na colonização das Américas?
a) Porque o indígena americano, conhecedor da terra, fugia mais facilmente do que o negro.
b) Pelo papel do comércio triangular que envolvia a África, na acu­mulação que se realizava na Europa.
c) Pelo fato do negro ser mais resistente que o índio, e acostumar-­se logo ao trabalho nas lavouras tropicais.
d) Porque os negros se encontravam num estágio de cultura supe­rior, no qual o trabalho sistemático já era empregado.
e) Pela hostilidade do indígena ao colonizador, levando-o a boicotar a produção.

28. Quando se afirma que, na estrutura econômica da formação social brasileira, as relações de produção dominantes eram escravistas, isso significa que:
a) as relações de produção escravistas eram as únicas existentes na colonização brasileira.
b) as relações de produção escravistas não eram características das co­lônias de exploração, mas no Brasil acabaram sendo dominantes.
c) as relações escravistas de produção subordinavam outros tipos de relação de produção e que a acumulação de capitais se reali­zava fundamentalmente pela exploração do trabalhador escravo.
d) os produtos que resultavam da atividade do trabalhador escravo eram os únicos a serem exportados para os outros setores do consumo externo, especialmente na Europa e na África.
e) a escravidão foi a forma de trabalho imposta pela metrópole ao Brasil, embora este tivesse condições de utilizar uma ampla mão­-de-obra assalariada.

29. (FATEC) - A escravidão indígena adotada no início da colonização do Brasil, foi progressivamente abandonada e substituída pela africana, entre outros motivos, devido:
a) ao constante empenho do Papado na defesa dos índios contra os colonos.
b) à bem sucedida campanha dos jesuítas em favor dos índios.
c) à completa incapacidade dos índios para o trabalho.
d) aos grandes lucros proporcionados pelo tráfico negreiro aos capi­tais particulares e à coroa.
e) ao desejo manifestado pelos negros de emigrarem para o Brasil em busca de trabalho.

30 (UFJF) Comparando-se os sistemas de colonização português e espanhol em suas colônias da América, assinale a alternativa cor­reta:
a) os dois sistemas possuíam suas bases econômicas assentadas na economia de subsistência e na utilização em larga escala da escravidão indígena;
b) enquanto na América Portuguesa havia o regime de pequenas e médias propriedades, baseadas no trabalho africano, na Espa­nhola prevaleceu o regime de grandes propriedades e exploração indígena;
c) a colonização espanhola estruturou-se basicamente em função dos núcleos de mineração do ouro e da prata; já a portuguesa carac­terizou-se pelo predomínio da atividade agrícola exportadora assentada na plantagem escravista;
d) a América Portuguesa caracterizou-se pela constante fragmen­tação territorial, reflexo de uma frágil administração, enquanto a América Espanhola se caracterizou pela forte centralização territorial e política.
e) o fato que assemelha os sistemas de colonização espanhol e por­tuguês na América foi a aplicação dos capitais obtidos na explo­ração colonial em atividades produtivas e na industrialização dos dois países.

31. (FATEC) A colonização espanhola:
a) fundamentou-se na divisão da colônia em vice-rei nos, diretamen­te ligados à Espanha, destacando-se a Casa de Contratação e o Conselho das Índias.
b) utilizou quase que exclusivamente a mão-de-obra negra, devido ao fato de a população indígena ter sido dizimada durante a con­quista.
c) desenvolveu nas colônias uma produção diversificada, produzin­do-se manufaturas na região setentrional e algodão na região meridional.
d) baseou-se nas culturas tropicais de exportação, nos minifúndios e na mão-de-obra servil.
e) criou uma organização administrativa centralizada com sede em Lima.

32. No Brasil e no Caribe, a escravidão africana constituiu-se na princi­pal modalidade de trabalho. Na América de colonização espanhola - México, Peru - predominou o trabalho indígena compulsório. Explique as origens dessas diferenças.

A adoção do escravismo africano na América portuguesa e no Caribe, onde também predominava a grande lavoura mercantil, explica-se pela escassez de braços nas metrópoles e pela alta lucratividade do tráfico negreiro. Na América Espanhola - México e Peru -, onde se desenvolveu a mineração, o emprego da mão-de-obra indígena é explicado pela existência de formas de trabalho compulsório entre as populações indígenas pré-colombianas, como a mita e o cuatequil, praticadas, respectivamente, pelos incas e pelos astecas.

33. (UCSAL) "Em trezentos anos, a rica montanha de Potosí quei­mou (...) oito milhões de vidas. Os índios eram arrancados das co­munidades agrícolas e empurrados, juntos com suas mulheres e seus filhos, rumo às minas ... "
Na organização econômica colonial da América Espanhola, o texto identifica,
A) a mita. B) o escambo. C) a hacienda. D) o morgadio
E) a encomienda.

34. Não pertence ao conjunto de instituições da administração colonial espanhola.
a) a Casa de Contratação. b) os Cabildos
c) as Audiências d) os Vice-Reinos.
e) o Conselho Ultramarino.

35. "Na passagem do século XVI para o XVII, a prosperidade econô­mica era geral e espanhola, em particular. No porto de Sevilha, o tráfego de barcos era intenso, trazendo um monumental volume de riquezas oriundo da América, que num curtíssimo prazo comprometeria de forma acentuada a economia européia".
Com base no texto, responda:

a) Como se denominou esse processo que marcou a Europa na época referida?
A Revolução dos Preços.

b) Quais foram as suas origens?
A entrada de ouro e prata provenientes das minas ame­ricanas na Europa, entre as últimas décadas do século XVI e o início do século XVII.

36. "Deixemos Londres produzir os panos tão queridos de seu co­ração; deixemos a Holanda produzir seus tecidos, Florencia suas sedas, as índias suas peles, Milão seus brocados, a Itália e a Flandres seus tecidos de linho (.), nós somos capazes de comprar todos esses produtos, o que prova que todas as nações trabalham para Madri, contudo, .... Madri não serve a ninguém".
(Alfonso Nuñez de Castro - 1575).
O texto faz referência:

a) à divisão da produção européia em áreas de especialização.
b) à incapacidade da produção industrial espanhola, frente aos ou­tros produtores europeus.
c) à dependência espanhola dos fornecimentos externos, respon­sável pela evasão de um grande volume de metais preciosos que vinha das minas americanas.
d) à pobreza dos espanhóis, em virtude dos seus fracassos na América.
e) à sábia política mercantilista da Espanha, que possibilitou seu pioneirismo no processo de acumulação primitiva do capital.

37. O mercantilismo praticado pela Espanha foi denominado:
a) comercial ou mercantil
b) metalista ou bulionista
c) industrial ou manufatureiro
d) duplo com o metalismo e o comércio
e) plantacionista e minerador

38. (UNM) Era o órgão responsável pelo registro de todos os con­tratos, barcos, carregamentos, tipos de mercadorias e imigrantes com entrada e saída em Sevilha ou na América. Estamos nos referindo à (ao):
a) Conselho das índias b) Intendência das Minas
c) Comitê dos Adelantados d) Casa de Contratação
e) Mesa de Consciência Real

39. A encomienda era uma instituição da colonização espanhola. Nela:
a) o encomendeiro era obrigado a sustentar graciosamente uma aldeia indígena.
b) os índios se encomendavam à proteção aos reis da Espanha.
c) os espanhóis eram os únicos que levavam e traziam as enco­mendas da colônia.
d) os índios encomendados ao senhor tinham a obrigação de trabalhar para ele.
e) os indígenas trabalhavam e recebiam por encomenda cumprida.

40. São formas de trabalho encontradas nas áreas de colonização das nações que integraram as chamadas Navegações tardias, à exce­ção de:
a) servidão de contrato, nas colônias inglesas da América do Norte
b) engajados, nas áreas coloniais francesas.
c) cuatequil, nos territórios de colonização holandesa.
d) escravidão africana, no sul das Treze Colônias.
e) trabalho livre, na Nova Inglaterra.

41. Os colonizadores europeus estabeleciam entrepostos comerciais ao longo do litoral das áreas conquistadas, visto que não entravam em seu interior. Esses entrepostos eram chamados:
a) Monopólios Reais b) Armazéns Gerais.
c) Escambo. d) Estanco.
e) Feitorias.

42. Com relação à colonização francesa na América, assinale Verda­deiro ou Falso.
(O) A exploração colonial foi efetivamente desenvolvida por Col­bert
(1) No Canadá, os franceses estabeleceram postos para o comér­cio de peles.
(2) Nas pequenas Antilhas foi desenvolvida a mineração.
(4) A França manteve o seu império colonial intacto, até o final da Época Moderna.
(8) Os franceses não desenvolveram a grande lavoura mercantil em suas colônias americanas.

43. "Pagar anualmente e individualmente 125 libras de tabaco bom, honesto e comerciável (.), pagar o dízimo do algodão e de outras mercadorias ( ..) e ainda pagar o dizimo do dito tabaco e de outros produtos que recolherão para o ordenado do Governador".

O texto acima:

a) refere-se à colonização inglesa na Nova Inglaterra.
b) trata da organização da exploração holandesa no Nordeste brasi­leiro
c) mostra a disciplina dos colonos portugueses na época da mine­ração.
d) trata das obrigações contratuais a que estava submetido um en­gajado francês.
e) mostra o rigor imposto pela Espanha aos colonos que não pos­suíam minas.

As questões 44, 45, 46 e 47 devem ser respondidas a partir do código abaixo.

a) Se todas estiverem corretas.
b) Se todas estiverem incorretas.
c) Se I e II estiverem carretas.
d) Se I e III estiverem carretas.
e) Se II e III estiverem corretas.

44. a)
I. Por" pilgrims fathers" se entende os colonos pioneiros da Nova Inglaterra.
II. As colônias inglesas do Centro-Norte foram policulturas.
III. As colônias inglesas da América do Norte desfrutavam de certa autonomia.

45. d)
I. Os holandeses chegaram a se estabelecer na região do rio Hud­son.
II. As companhias de comércio holandesas eram pacíficas em­presas mercantis.
III. O Ato de Navegação, de Cromwell, aniquilou a supremacia marítima flamenga.

46. d)
I. Os franceses perderam o Canadá para a Inglaterra.
II. Com a Guerra dos Sete Anos, os franceses expandiram suas áreas coloniais.
III. O colbertismo estimulou a exploração colonial francesa.

47. Todas incorretas b)
I. A grande propriedade inexistiu nas áreas coloniais dos chama­dos não-ibéricos.
II. As colônias franco-holandesas não exploraram nenhuma forma de escravidão.
III. A Guiana foi a única porção territorial que os holandeses toma­ram de Portugal.

4 comentários:

Marco Aurélio Antunes Gondim disse...

Parabéns pelo blog. Bom saber que há colegas em Campo Grande publicando na Web.

mirian disse...

Amei o blog, as questões concernentes a colonização européia vão ser base da aula que ministrarei em meu estágio de formação acadêmica.

Christian_78 disse...

Uma sugestão e não uma crítica. Faria um diferencial se colocasse o comentário das questões no blog, assim saberemos o porquê da questão está errada.

Michelline Nogueira disse...

Muito bom reencontrar você, pena que tenha ficado pouco tempo aqui por Manaus. Ficarei sempre em contato...

Michelline...